Secretaria Geral

Aprovado programa para certificar e valorizar Caminhos de Santiago

Aprovado programa para certificar e valorizar Caminhos de Santiago

O Governo aprovou, na passada quinta-feira, um diploma para a certificação e valorização dos Caminhos de Santiago em Portugal.
 
Com este diploma, criam-se as condições para o reconhecimento internacional e integração do caminho português no conjunto de caminhos oficiais de Santiago.
 
A certificação será assegurada pela Comissão Executiva do Caminho de Santiago, um órgão com elementos da Direção-Geral do Património Cultural e do Turismo de Portugal.
 
Atualmente, o Caminho Português de Santiago é o segundo mais percorrido para chegar a Santiago de Compostela. Em 2018 chegaram a esta cidade mais de 81 mil peregrinos que iniciaram o seu trajeto em Portugal. Um número expressivo no total de 327 mil peregrinos que chegaram a Compostela no ano passado.
 
O número de peregrinos a percorrer o Caminho Português tem vindo a aumentar de forma significativa, sendo o caminho que mais cresce em termos de procura.
 
O Porto é já a segunda principal cidade para início da peregrinação, a seguir Sarria (Espanha).
 
Com a aprovação deste diploma, criam-se as condições para a promoção internacional destes itinerários, que atravessam todo o país de Sul a Norte.
 
Em 2018 foi lançada pelo governo a plataforma Caminhos da Fé, que inclui os caminhos de Fátima, a rota da Herança Judaica, altares Marianos e que passará também a incluir os caminhos de Santiago certificados. 

Uma grande parte do caminho de Santiago é, aliás, coincidente com o caminho de Fátima, razão pela qual estão a ser desenvolvidas ações de sinalização e de promoção conjunta.
 
Com a celebração do Jacobeu, Ano Santo de Santiago de Compostela, em 2021, a aprovação deste diploma reveste-se da maior importância, na medida em que permitirá que mais pessoas possam escolher Portugal como local de início de peregrinação.
 
Para a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, "a certificação do Caminho Português vai permitir reforçar ainda mais a promoção internacional destes caminhos e a abertura do mapa turístico de Portugal a todo o território. A promoção de Portugal como um país de caminhos, de tolerância e de abertura tem sido uma dos nossos instrumentos de comunicação. O peregrino de Santiago faz o percurso ao longo de todo o ano e gera riqueza nos territórios por onde passa".
 
A Secretária de Estado da Cultura, Ângela Ferreira, sublinha que "o Caminho de Santiago e os seus diversos itinerários fazem parte do património cultural europeu. Representa também um valor universal, o de um encontro de culturas. Este diploma é um importante instrumento para uma melhor estruturação dos caminhos existentes e da marcação de novos itinerários, potenciando-se o desenvolvimento e a coesão territorial, incluindo a nível transfronteiriço, e proporcionando aos peregrinos a melhor e mais segura experiência possível".



in Portal do Governo

2019-02-09

 

 

 

  • Recrutamento
  • Denúncias / Queixas
  • Reserva de espaços
  • Portugal 2020
  • Indústria 4.0
  • Web Summit
66