Secretaria Geral

Plano Geral de Instalação do Metropolitano de Lisboa – 1958
 
O Metropolitano de Lisboa inaugura em 1959 a primeira rede ferroviária subterrânea de Portugal, para “assegurar a satisfação das necessidades urbanas em matéria de deslocamentos rápidos” (Plano Geral de Instalação do Metropolitano de Lisboa. 1948. BAHE 111D1)

Esta necessidade era já sentida no séc.XIX, tendo sido exposta por Lima e Cunha na comunicação que fez na sessão de 6 de maio de 1888 na Associação dos Engenheiros Portugueses e publicada na Revista de Obras Públicas e Minas (BAHE PP9). A sua proposta era a da construção de linhas de “metropolitano que, em Lisboa, servisse a área onde a população se acha mais concentrada”, ou seja uma área compreendida então entre a “Estação de Alcântara; largo do Rato; largo do Intendente e estação do Caes dos Soldados”, atual Santa Apolónia.

A caixa que se apresenta é denominada “Planos de Algibeira” e contém 21 plantas para a manutenção técnica de 21 troços de linha existentes em 1976.

A documentação que o Arquivo Histórico da Economia detém no seu acervo oferece um contributo valioso para a história da rede de metro de Lisboa, desde a sua conceção em 1948 até aos anos 1990. Convidam-se todos os investigadores e interessados a conhecerem esta e outras obras públicas na BAHE.


 

Imagem 1  fevereiro
 

Legenda

Planos de algibeira

BAHE, 624

Biblioteca e Arquivo Histórico da Economia

Secretaria-Geral da Economia


A arte está presente em praticamente todas as estações do Metropolitano de Lisboa, enriquecendo-as com a participação de artistas plásticos no tratamento destes espaços públicos.
 
Nas décadas de 1950 e 1960, Maria Keil ofereceu-se para colaborar gratuitamente na conceção do revestimento das estações com os belíssimos painéis de azulejo que ainda hoje podemos apreciar.

A imagem abaixo apresentada é um excerto da obra disponível na BAHE, que resulta do estudo da obra da artista aplicada ao Metro. Depois da sua publicação, Maria Keil ofereceu em 2009 a última das suas 21 intervenções na rede de Metro de Lisboa, na estação de S. Sebastião, três anos antes de falecer aos 97 anos.

 

Imagem 2 fevereiro 2018
 

Legenda

Azulejos de Maria Keil

Metropolitano de Lisboa. Anjos ; intervenção plástica de Maria Keil ; coord. de
Margarida Botelho, Pina Cabral. - Lisboa : Metropolitano de Lisboa, 1996. - 48 p. : il. color. ; 30 cm. - ISBN 972-96959-2-X

BAHE F3101D

Biblioteca e Arquivo Histórico da Economia

Secretaria-Geral da Economia




  • Recrutamento
  • Reserva de espaços
  • Canal Denúncias
  • Eventos SGE
  • Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental
  • Portugal 2020